quinta-feira, 25 de novembro de 2010

COMUNICADO IMPORTANTE

Amados irmãos:

Em virtude da guerra urbana instaurada no RJ, determino a imediata suspensão das atividades eclesiásticas na nesta semana, inclusive no próximo domingo, dia 28/11/2010. Adicionalmente, CANCELO todos os compromissos agendados por qualquer departamento da Igreja ou obreiro individualmente ("saídas").

Pelo mesmo motivo, ESTÃO PROIBIDAS toda e qualquer atividade departamental (juventude, mulheres, dança, louvor, etc), quer na Igreja, quer em saídas para qualquer outra Igreja, bem como em REUNIÕES de oração e/ou confraternização, em casas de obreiros e/ou membros.

Que nestes dias de trevas e terror, Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo seja a Torre Forte, o Guarda Vigilante de todos os membros e obreiros da Igreja Batista Ministério Reviver, em Vila da Penha, bem como de todos os amados irmãos e obreiros de todas as Igrejas Evangélicas Co-Irmãs situadas no Rio de Janeiro.

Do mesmo modo, que o Senhor proteja cada policial que está arriscando a vida para defender a população carioca. Senhor, eu te peço que eles e suas famílias sejam guardados por Ti e em Ti; por favor, tenha misericórdia de nós.

Possa o Senhor acampar seus anjos ao redor de todos nós, homens e mulheres de bem, independentemente de confissão religiosa.

Sejam, óh Senhor, as nossas vidas preciosas aos Teus olhos!

Que o Senhor te abençoe e te guarde!

Graça e Paz!

Pr. Ricardo Kropf S. Fermam; D.D.; D.Sc.
Pastor-Titular da Igreja Batista Ministério Reviver - Vila da Penha/RJ
1º Vice-Presidente do Ministério Reviver.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

EBR - O LIVRO DE ÊXODO

Amados irmãos, neste próximo trimestre estudaremos sobre o Livro de Êxodo, dando prosseguimento a nossa série "Estudando a Palavra de Deus, Livro por Livro".

Como não há material didático (revistas) disponíveis no mercado - o que, diga-se de passagem, causa espécie -, as aulas terão como base a minha apostila sobre o tema. Como de costume, haverá aqui no blog postagens sobre algumas lições mais controversas ou de maior interesse (com links para mapas, textos acessórios, etc). Aqueles que quiserem contribuir com textos relacionados ao livro de Êxodo (como esboços de sermãos, etc) também poderão fazê-lo, enviando diretamente para o e-mail rksfermam@ig.com.br, com o título da mensagem "Êxodo - Blog Reviver".

De forma geral, todas as perguntas sobre o livro de Êxodo que não forem esclarecidas em aula poderão ser feitas aqui. Todas as perguntas que os irmãos postarem serão devidamente respondidas. É oportuno esclarecer que a tipologia com relação ao tabernáculo não será o foco do estudo neste momento, podendo no entanto ser abordada de forma mais resumida, se necessário.

Para iniciarmos o estudo, vale a pena lembrar que algumas bíblias possuem um esboço de cada livro. Este esboço auxilia-nos a ter uma visão geral dos assuntos abordados no livro em questão, de forma a possibilitar uma compreensão do livro como um todo. O esboço é geralmente estruturado em ordem cronológica, apresentando os assuntos na ordem em que aparecem no texto bíblico, podendo ser sintético ou analítico. Assim, o Livro de Êxodo poderia ser esboçado da seguinte forma:

I. ISRAEL NO EGITO (1.1 - 12.30)
1. Escravidão no Egito
2. Deus escolhe Moisés
3. Deus envia Moisés a Faraó
4. Pragas atingem o Egito
5. Páscoa

II. ISRAEL NO DESERTO (12.31 - 18.27)
1. O Êxodo
2. A Travessia do Mar
3. A Murmuração no Deserto

III. ISRAEL NO SINAI (19.1 - 40.38)
1. A entrega da Lei
2. As instruções para o Tabernáculo
3. A Lei é quebrada
4. A construção do Tabernáculo

No primeiro capítulo de Êxodo, lemos: "E levantou-se um novo rei sobre o Egito, que não conhecera a José, o qual disse ao seu povo: Eis que o povo dos filhos de Israel é muito, e mais poderoso do que nós. Eia, usemos de sabedoria para com eles, para que não se multipliquem, e aconteça que, vindo guerra, eles também se ajuntem com os nossos inimigos, e pelejem contra nós, e subam da terra. E puseram sobre eles maiorais de tributos, para os afligirem com suas cargas. Porque edificaram a Faraó cidades-armazéns, Pitom e Ramessés. Mas quanto mais os afligiam, tanto mais se multiplicavam, e tanto mais cresciam; de maneira que se enfadavam por causa dos filhos de Israel. E os egípcios faziam servir os filhos de Israel com dureza. Assim que lhes fizeram amargar a vida com dura servidão, em barro e em tijolos, e com todo o trabalho no campo; com todo o seu serviço, em que os obrigavam com dureza." (Êx 1.8-14).

Ao recordarmos os estudos anteriores em Gênesis, José, filho de Jacó, havia sido vendido como escravo por seus irmãos aos ismaelitas, por inveja. Estes ismaelitas levaram José ao Egito. Ali, os midianitas venderam-no a Potifar, oficial de Faraó, capitão da guarda. E o SENHOR estava com José, e foi homem próspero na casa de Potifar, tendo sido posto pelo seu senhor sobre toda a sua casa e sobre todos os seus bens, de forma que foi Potifar abençoado muitíssimo por meio de José.

José acaba sendo novamente preso, desta vez por causa das mentiras da mulher de Potifar, que queria a todo custo adulterar com ele. Lá na prisão Deus o usa em sonhos para com dois outros companheiros de cativeiro. Interessante que até o carcereiro-mor foi abençoado por meio de José, de forma que ele entregou na mão de José todos os presos que estavam na casa do cárcere, e ele ordenava tudo o que se fazia ali. Daí o Faraó teve sonhos que muito o perturbaram e ninguém em todo o Egito conseguia interpretar o seu sonho, nem sábios e nem advinhadores. José é então levado do cativeiro à presença de Faraó e interpreta-lhe o sonho. Por isso, é colocado como o segundo homem no Egito aos 30 anos de idade, tendo sido chamado de Zafenate-Panéia.

Este Faraó muito abençoou José e seu pai Jacó e seus irmãos. Diz a Bíblia que falou Faraó a José, dizendo: Teu pai e teus irmãos vieram a ti; a terra do Egito está diante de ti; no melhor da terra faze habitar teu pai e teus irmãos, habitem na terra de Gósen (Gn 47.5,6). E José fez habitar a seu pai e seus irmãos e deu-lhes possessão na terra do Egito, no melhor da terra. Nesta terra, os filhos de Israel frutificaram, e multiplicaram-se muito.

Quem é o Faraó que "conheceu José"? E quem é o Faraó que se levantou após ele? Especificar com 100% de precisão estes Faraós é uma tarefa praticamente impossível, em virtude das muitas controvérsias históricas e arqueológicas acerca da cronologia do Egito antigo. Por seu turno, a Bíblia não faz menção aos nomes destes Faraós. Uma forma de determinar qual era o Faraó que governava o Egito naquela época é a partir da data do Êxodo, a qual é também objeto de disputa pelos pesquisadores. Se pudermos fixar a data do Êxodo em torno de 1450 a.C., ou seja, na XVIII dinastia (cf. I Rs 6.14; Jz 11.26); o faraó da ocasião seria Thutmose III ou Amenhotep II.

Já um segundo grupo defende data mais recente, algo em torno de 1300 a.C., exatamente no período do faraó Ramsés II, que viveu na XIX dinastia e é um dos monarcas mais conhecidos na história egípcia. Número significativo de pesquisadores do Antigo Testamento recorrem a Êxodo 1:11 para defender o Êxodo como tendo ocorrido na XIX dinastia, onde é dito que os israelistas construíram duas cidades celeiros para o faraó: Pitom e Ramessés. (extraído de http://www.arqueologiadabiblia.com/2008/11/cidade-de-ramss.html. Acesso em 04/11/10, às 18h15min)

Não devemos nos preocupar demasiadamente com isso neste momento. Para nós, crentes em geral, basta-nos saber os motivos que levaram a perseguição e escravidão dos filhos de Israel no Egito.

Saiba mais no vídeos abaixo:

 
 
Graça e Paz!